português ingles
Dissertação

Avaliação física, química, microbiológica e ecotoxicológica da água de irrigação de hortaliças em uma região de mananciais da grande são paulo

Curso: Mestrado Profissional em Tecnologia: Gestão, Desenvolvimento e Formação

Linha de Pesquisa: Tecnologias Ambientais

Autor: Priscila Marques de Maio Lacerda

Orientador: Profª. Drª. Silvia Pierre Irazusta

Data de Apresentação: 26/07/2012

Contato: mestrado@cps.sp.gov.br


BANCA

Profª. Drª. Silvia Pierre Irazusta

Profª. Drª. Elisabeth Pelosi Teixeira

Prof. Dr. Gilson Alves Quináglia


RESUMO

Diversos estudos apontam as hortaliças como veículos de disseminação de várias doenças. As águas superficiais utilizadas para a irrigação de hortaliças, principalmente nos cinturões verdes dos centros urbanos, estão, em geral, severamente contaminadas por esgotos domésticos e/ou industriais não tratados. Este trabalho teve por objetivo avaliar a qualidade da água de irrigação de hortaliças, do ponto de vista físico, químico, ecotoxicológico e microbiológico em uma região de mananciais da grande São Paulo.

Para este propósito, foram realizadas análises físicas, químicas e microbiológicas que foram comparadas aos valores de referência estabelecidos pela resolução do conama 357:2005 para águas de classe 1, que são destinadas à irrigação de hortaliças consumidas cruas. Para os testes ecotoxicológicos foram realizados bioensaios de toxicidade aguda e crônica com dugesia tigrina, selenastrum capricornutum e de geno/mutagenicidade com allium cepa.

Os resultados das análises físico-químicas mostraram alterações importantes, especialmente de oxigênio dissolvido, compatíveis com os achados microbiológicos que foram positivos para coliformes totais e coliformes fecais. Os dados ecotoxicolóxicos não apontaram toxidade aguda em nenhuma das amostras. A resposta foi positiva para toxicidade crônica para planárias, em dois dos três pontos. Também foi constatado efeito genotóxico para a.

Cepa, em todas as amostras. Em conjunto, os dados apontaram para uma contaminação antrópica, muito provavelmente oriunda de despejos domésticos, não permitindo o enquadramento destas águas em classe 1. A análise de coliformes fecais revelou significativa prevalência de contaminação microbiológica, fora do padrão recomendado pela legislação conama 357: 2005 e pela oms, constituindo riscos à saúde dos consumidores.


PALAVRAS-CHAVE
Água de Irrigação, Bioensaios, Contaminação Antrópica, Hortaliças